Horror

A verdade do horror

agosto 19, 2014

Gostava tanto de ser toda eu "solar" e ignorar o que se passa no Mundo, fora do conforto da minha casa, das "traquinices " e parvoices, e das zangas tontas e depois faz-se as pazes, sem sequer termos estado zangadas e é uma alegria e pronto. As ervas daninhas cortamos pela raiz, e as nossas birras com quem gostamos é porque gostamos mesmo e mais nada.
Mas depois...mas depois há um dia, em que acordamos e lemos nas gordas do correio da manhã uma noticia que se não fosse tão grave poderia tratar-se de sensacionalismo.
Mas não. 
Nem quando acusamos o Correio da Manhã de sensacionalismo nos passa pela cabeça que surgirão titulos destes verdadeiros e o facto de sabermos isso corroi-nos, queima-nos como se de acido sulfurico  se tratasse.
Há dois dias atrás li que um homem tinha "escaldado" a filha em àgua a ferver, e que a menina não tinha sobrevivido aos ferimentos, queimaduras graves, claro.
Não li mais que isto.
Pensei em negligencia . Gente que se descuida e sem querer entorna para cima de um bébé agua a ferver. Algum bebado desajeitado.
Fiquei mexida por dentro. Irritada. Tanta gente a querer ter filhos. Tantos pais que lutam pela saude dos seus e aquele animal descuida-se assim (é impossivel não fazermos julgamentos interiores, faz parte da nossa condição humana a revolta)
Hoje levanto-me e leio que foi encontrado vinho no estomago da bebe. O laudo da autopsia determinara assim que o pai anestesiara a criança algumas vezes antes de inflingir dor (falaram em pancadas fortes em outras circunstancias) e desta vez antes de a matar com agua a ferver.
Não sou psicologa. Nem estudei antropologia, nem sociologia, nem psiquiatria. Mas tem que haver uma explicação para este comportamento.
Esta criatura , progenitora da bebe vivia em sociedade. Como?
Se a criança já tinha sofrido maus tratos antes ninguem tinha notado?
A mãe da criança? Não notava marcas?
O individuo esta preso. Como é um caso publico e polémico é possivel que um advogado a precisar de protagonismo se aproxime dele e lhe consiga a tal pena d 25 anos ou uma inimputabilidade porque e desculpem parece-me um caso de extrema maldade mas também de alguem satânico, louco.
De uma coisa estou certa.
Quando li os contornos deste caso pensei: Um de nós é inadaptado . Ou eu, ou o assassino.
Porque se vivemos num Mundo onde se julga um ... ser destes e se condena a 25 anos de prisão, e acreditem que já falei com imensos magistrados que me garantem que hoje em dia NINGUEM vai preso para cumprir os 25 anos porque o estado não tem como os sustentar, estão lá dentro, cumprem no máximo 2/3 da pena e por bom comportamento saem, então, não estou a fazer nada num Mundo onde os assassinos têm livre arbitrio para agir, matar quem querem, maltratar crianças.
Mais! Casos destes são autenticos  aperitivos para que mais psicopatas ainda se vão revelando com a agravante de o fazerem corrigindo os erros que destas almas malditas. 
Pergunto eu, este homem queria ser descoberto?
Em que circunstancia foi encontrado o corpo da menina? Foi um acto de exibicionismo?
E a merda dos serviços da segurança social? Vão continuar a facilitar o encontro das crianças com pais à força? 


Tenho cá em casa, um filho com 11 anos, que por medo de ter sido ameaçado pelo pai quando tinha 9 anos, ele e eu, e obrigado pelo tribunal a continuar a ve-lo nas instalaçoes da segurança social, esta completamente transtornado. Tem ausencias, fala sozinho, teve episódios de mutilação e nem pode ouvir falar na palavra pai, porque durante mais de um ano foi OBRIGADO  a conviver com o pai para tentar reatar laços etc num gabinete. As primeiras vezes ele gritava, chorava. As senhoras diziam que tinha que ser. Que eram ordens do tribunal.
Quando ele se começou a mutilar, e farta das ameaças de "olhe que se deixar de o trazer vai presa por subtração de menores ou paga multa" e com um relatorio enviado para o tribunal pela psicologa que o proprio tribunal contratou portanto imparcial, a dizer que as visitas com o pai deveriam ser  suspensas IMEDIATAMENTE, contactei as senhoras a dizer que tinha acabado o circo. O meu filho não era obrigado a encontrar-se com uma pessoa com quem não sentia qualquer tipo de afecto.
Sentia medo, desconforto.
Não me interessa como está o pai. Interessa que o filho está destruido e a culpa é do ESTADO. Do Tribunal , da segurança social que compactua com este tipo de situação  sem alertar o tribunal  do estado psiquico e das alterações que a criança vai passando. 
O meu filho tem 11 anos e anda numa pedopsiquiatra. Vai iniciar medicação.
 E agora? É o tribunal que se vai responsabilizar pela tremenda negligencia que causou ao facilitar as visitas que despoletaram este trauma imenso e depressão profunda em que o meu filho se encontra?
Não gosto deste sistema. Este país não cuida dos seus. 


Os filhos não podem ser objetos , playstations, "coisas" para a frustração passar. Não nos pertencem, têm que ser respeitados.


O unico dever dos pais é sustentar os filhos, (falo de pais e mães), fazê-los felizes, educá-los, respeitá-los. Amá-los e amá-los, significa muitas vezes prescindir deles. Nunca fazer-lhes mal, seja da forma que for. Psicológicamente, fisicamente.


Sou mãe de dois reizinhos. Um deles está magoado comigo. Chama-se Henrique e tem 11 anos. Magoado, porque pensa que não o defendi do pai. Que podia ter evitado os encontros a que foi obrigado a ir.
Por mais que lhe explique.
Sempre achou que a mãe era a Super- Mulher.

Quando entrei pela sala da segurança social adentro pelos seus gritos "mãe, tira-me daqui por favor"
Não me deixaram tirá-lo.


Pois agora tentem. 
Já o conseguiram destruir. Eu ando a tentar colar cacos.
Peças muito pequeninas.
O Estado terá que responder à negligência do seu acto.
Quero o meu filho feliz e normal de volta!!!
E nem tentem novas aproximações com o pai!!!
Perante os relatórios forenses, qualquer tentativa de aproximação far-me à procurar novas instancias.


E é por isto, por ser mãe, por não acreditar neste país, por sofrer na pele os desvarios de um Portugal esquizofrénico que cada vez mais me desiludo, e não acredito neste país.
Nesta justiça das 9 às 5.
Hoje estão todos muito revoltados. Daqui a uns meses ninguem se lembra da criança.
Quando o senhor sair da prisão, casa, tem muitos filhos e volta a fazer nova loucura.
 post signature

You Might Also Like

5 comentários

  1. Estou para la de chocada com isto não me sai da cabeça ,não entendo e não aceito que alguem cometa actos destes e não seja punido como merece,eu quando li a noticia pela primeira vez pensei em descuido negligencia...mas isto ,meu pai do ceu,é horrivel demais para imaginar.Eu tenho uma bebe pequenina com 16 meses,tenho uma filha adolescente com 17 anos e um rapaz com 19,dou a minha vida por eles.E hoje o meu coração chora porque ninguem esteve lá para proteger aquele anjinho que com apenas 4 meses teve que passar por tanta dor e crueldade.Só espero que o ser malvado e desprezivel ser que fez isto tenha o castigo que merece,que os "colegas "de cela quando ele for preso saibam o que ele fez!

    ResponderEliminar
  2. Há tanta injustiça, tanta loucura, tanta dor...não sei o q se passa c o ser humano...é mt triste e revoltante todas estas notícias q se vêem e ouvem e nada podemos fazer, e qtas outras nos passam ao lado :-( Não sabia do tormento q o teu filho passou, outra injustiça, desde qd se tem de forçar alguém a estar perto de quem não gosta??? Isto vai de mal a pior...cada vez pior...

    ResponderEliminar
  3. Do que percebi os vizinhos ouviam a criança a chorar 24h por dia e nada disseram. Uma mãe que nem um piu disse, até podia levar porrada mas o filho era meu, matava-o só para não tocar mais na bebé. Cada vez que ouço as noticias e oiço os descalabro deste mundo só penso, "porque raio o ser humano ainda existe".. Nem todos tem culpa, verdade, mas paga sempre o justo pelo pecador.
    Não entendo como ninguém fez nada.. Desgraça...

    ResponderEliminar
  4. Eu simplesmente digo o mesmo !! Nao entendo esse pais * Uma vergonha --'

    ResponderEliminar
  5. Eu não entendo é estes seres 'humanos' que de humanidade nada têm!

    ResponderEliminar

Obrigada pelo teu comentário!